Suécia nega asilo para jovem gay iraniano que teme ser executado

Tradução do texto de Joe Morgan originalmente postado no Gay Star News

___________________________________

Autoridades suecas rejeitaram o pedido de asilo feito por um jovem gay de 19 anos que tem medo de ser executado no Irã.

Mehdi Shokr Khoda, que também se identifica como cristão, foi forçado a assinar um documento no dia nove de julho afirmando que ele sairia do país em três semanas.

Se ele não o fizer, ele poderá ser deportado a qualquer momento.

O Gay Star News leu o documento de rejeição emitido pela Corte de Migração Sueca.

Ele foi rejeitado baseado no fato de não haver “novas evidências” depois de outros pedidos de asilo. Oficiais suecos, de maneira confusa, também afirmaram que a atenção da mídia internacional sobre o caso não será lida pelo governo iraniano.

Medo de ser deportado e executado

“Eu não posso viver abertamente como um homem gay no Irã”, disse Mehdi para o Gay Star News.

“Eles não irão tentar te entender. Eles irão te matar primeiro”.

Ao seu lado está o seu parceiro, Carlo Rapisarda – originalmente da Itália.

Os dois estão juntos já a 18 meses.

Mehdi acompanhou a sua irmã trans, que fugiu do Irã parra Estocolmo alguns anos atrás. Como ela recebeu asilo, ele viajou até a Suécia em 2017 na esperança de receber a mesma proteção.

Os seus pais não sabem da orientação sexual e identidade de gênero de seus dois filhos.

Encontrando amor na Suécia

Mehdi_Carlo

Mehdi conheceu Carlo pelo Tinder em janeiro do ano passado. Os dois se apaixonaram rapidamente e começaram a morar juntos depois de seis meses de namoro.

No ano passado, o Conselho de Migração rejeitou o pedido de Mehdi achando que ele estava mentindo.

Eles entraram com uma apelação sobre a decisão e foram à corte em janeiro de 2019. Carlo testemunhou sobre o relacionamento dos dois.

“Eles querem evidências”, disse Carlo.

“Nós moramos juntos, nós amamos um ao outro, nós nos conhecemos a bastante tempo. Isso não é evidência suficiente?”

“Não existe uma maneira científica – você não pode colocar diversos cabos nele e checar”.

O casal também conseguiu uma carta da Federação Sueca pelos Direitos LGBT. Nela a federação afirmava: “Não existe dúvida. Medhi é gay e necessita de proteção”.

Eles novamente foram rejeitados afirmando que Mehdi não era capaz de explicar o seu processo de sair do armário.

Temendo pela sua vida, Mehdi falou para o Gay Star News e outro jornal em fevereiro.

O casal enviou esses artigos para o Conselho de Migração.

Rejeitado por falta de “nuancias”

O governo sueco questionou porque Mehdi perguntou porque ele só foi batizado quando chegou em Estocolmo. Eles também afirmaram que as “ideias e reflexões” de um jovem de 19 anos sobre o cristianismo estavam faltando.

Mehdi disse que sua fé é privada, algo que ele aprendeu a fazer no Irã.

“Ou você é muçulmano ou você está morto”, adicionou Mehdi.

O casal também culparam a falha no pedido original de asilo de Mehdi por causa de um “terrível interprete”.

Poca chance de sobrevivência

Mehdi_Gay_Pride

A vida de Mehdi está em perigo eminente se ele for deportado.

“Oficiais com certeza irão entender a minha situação”, ele disse. “Eles irão me questionar”.

“Se eles descobrirem que eu sou cristão, ou que eu sou gay, ou que eu procurei asilo, eles não irão tentar me entender. Eles irão me executar”.

Mehdi e Carlo estão esperando que os advogados ganhem na nova apelação. Graças a atenção internacional, eles conseguiram levantar dinheiro através de um financiamento coletivo.

Eles também podem se casar. Porém, a intenção de se casar deve ser feita com 21 dias de antecedência.

“Infelizmente nós não tínhamos ideia de como organizar tudo em um período de tempo tão pequeno”, disse Carlo para o Gay Star News.

“Mehdi não será forçado a entrar em um avião desde que ele não cometa nenhum crime. É claro, ele ainda estará sem documentação, o que significa que ele não poderá trabalhar, estudar, e terá limitações de seguro de saúde”, afirmou o advogado do casal.

“O advogado nos disse que nós podemos apelar essa última decisão, adicionando o fato de que as matérias jornalisticas representam um obstáculo para a expulsão dele”.

Os dois esperam começar a vida juntos. Mehdi quer terminar os estudos, conseguir um emprego e começar uma vida nova onde possa ser livre para ser gay e cristão.

“Eu gostaria de ser farmaceuta – criar medicamentos – fazer as pessoas ficarem bem” ele conta.

____________________________________

Links relacionados:

Matéria original (Em inglês): Sweden rejects asylum for gay teen who fears execution in Iran

Áustria rejeita asilo para Iraniano gay por ser “muito afeminado”

Jovem afegão tem asilo negado na Áustria por “não ser gay o suficiente”

O ambiente hostil para refugiados LGBT na Alemanha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: