Perfil: Ian Alexander e a representatividade da juventude trans

Tradução do texto de David Reddish originalmente postado no Queerty.

__________________________

Nome: Ian Alexander, 18 anos

Quem ele é: Ator

Como ele contribui para a luta: Alexander, homem trans, é o filho birracial de pai branco e uma mãe imigrante do Vietnã. Criado dentro da fé mormon, ele mudou de cidade diversas vezes quando criança por causa do trabalho militar do pai. Independente de onde ele morou, porém, Alexander sempre encontrou refúgio no teatro e no coral. Alexander se apresentava na sala de sua casa, criando cenas e atos musicais para amigos e familiares.

Mas, quando ele se assumiu trans com 13 anos em 2014, Alexander entrou em um ambiente tenso dentro de casa com a sua família religiosa.

Alexander viu o seu mundo mudar para sempre em 2016. Nesse ano ele respondeu uma chamada de um ator trans e ganhou o papel de Buck Vu na série de ficção científica The OA. Apesar dele nunca ter interpretado na grande tela antes, Alexander ganhou um grande reconhecimento pela sua performance como um jovem trans ainda dentro do armário cujo único recurso é conseguir hormônios do vendedor local de drogas. Alexander voltou para a segunda temporada do show esse ano, onde ele interpreta Buck e mais um papel de uma adolescente cis. Os criadores do show, Zal Batmanglij e Brit Marling, reconheceram que a performance autêntica de Alexander e sua experiência de vida ajudaram ele a criar com perfeição o retrato de um personagem birracial trans.

Sem título

Porque temos orgulho dele: Alexander usou a sua plataforma para lutar pela causa trans, incluindo um incidente de 2016 em que ele respondeu um grupo de transfóbicos do campus da UCLA e recebeu mais de 26.000 curtidas no twitter.

Alexander adotou uma postura muito corajosa de se assumir publicamente quando pegou o seu primeiro papel, e os seus pais eventualmente acabaram apoiando ele. O seu papel em OA tornou Alexander em um modelo e ativista para todos os adolescentes trans. Como ele escreveu em uma postagem para o Huffington Pos:

Foi no The OA que eu ouvi a minha mãe se referir a mim pelo meu nome e pronome correto pela primeira vez, em resposta, todos em volta dela começaram a fazer a mesma coisa. Antes disso, ela se sentia muito mais confortável me chamando pelo meu nome de registro, e exclusivamente no pronome feminino; Eu me lembro de sentir borboletas no estômago de excitação toda vez que ela se referia a mim como “ele” enquanto conversava com o elenco e a equipe. Esse foi um momento pivô da minha vida quando eu percebi que eu poderia ser aceito por quem eu sou…

Não só a autêntica representação é importante para os atores, mas para o público também: Se eu tivesse visto mais meninos trans como eu na televisão enquanto ainda tentava entender a minha identidade de gênero, eu poderia ter me aceitado muito mais cedo. Na realidade, eu estou orgulhoso e honrado de dizer que desde que apareci no The OA, muitas pessoas tem me dito que eu as dei coragem para se assumir como trans para a sua família e amigos.

__________________________

Links relacionados:

Matéria original (Em inglês):  ‘The OA’s’ Ian Alexander is making it safer for trans teens to come out & parents to accept them

Netflix está produzindo uma nova comédia romântica lésbica

Ian Alexander explica porque não existe desculpa para Hollywood não contratar atores trans

Uma sondagem da representatividade LGBT+ asiática na televisão ocidental

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: