Ativistas tailandeses protestam contra as leis homofóbicas de Brunei

Tradução do texto de Rik Glauert originalmente postado no Gay Star News.

______________________________

Ativistas LGBT da Tailândia protestaram na frente da embaixada de Brunei na capital tailandêsa de Bangkok no dia 9 de abril.

Eles condenavam a implementação de leis da sharia pelo governo de Brunei.

A pequena nação do sudeste asiático agora pode punir homossexuais com a pena de morte por apedrejamento.

Ativistas apresentaram uma petição assinada por 130 grupos de vários países do sudeste asiático.

Cerca de 30 ativistas balançavam a bandeira do arco-íris e apresentavam pedras pintadas com as cores do arco-íris.

“Nós precisamos sair e fazer a nossa voz ser ouvida” diziam ativistas independentes e organizadores da Sirisak Chaited. “Não somente pelas pessoas LGBT de Brunei, mas por todas as pessoas LGBT ao redor do mundo”.

“Quando falamos de direitos humanos em Brunei, nós precisamos falar sobre direitos humanos em todos os lugares”, disse SirisakChaited para o Gay Star News.

Prasert Wasedue Raman, o oficial do escritório de certificação de Brunei, se encontrou com os ativistas e aceitou a carta, de acordo com o Voice TV.

Os ativistas apresentaram depois a petição para um representante legal tailandês da comissão regional de direitos humanos.

SirisakChaited também disse que esperavam que mais países do sudeste asiático tivessem se unido no protesto.

Legitimando a violência

“Ao adotar visões conservadoras sobre moralidade e punição excessiva, Brunei essencialmente está legitimando a violência” afirma a petição.

Os signatários, que incluem grupos da Tailândia, Cingapura, as Filipinas, Indonésia e Malásia, demandaram que Brunei respeitasse os direitos humanos.

Brunei enfrenta a reprovação de grupos internacionais de direitos humanos, das Nações Unidas e de diversos governos ocidentais.

Mas o sudeste asiático, onde a Associação das Nações do Sudeste Asiático (ASEAN), que tem uma política de não-interferência, se manteve isenta.

Na realidade, alguns países vizinhos como a Malásia e Cingapura – que também presenciaram uma perseguição de pessoas LGBT – também tentaram aplicar leis similares em seus territórios.

Thai-LGBTI-activists-gather-outside-the-Brunei-embassy-in-Bangkok

O que está acontecendo em Brunei?

Brunei implementou uma das últimas leis da sharia no seu território.

Com uma população de 500.000 pessoas, Brunei é um dos países mais ricos do mundo por causa da sua grande reserva de petróleo e gaz natural.

A nova lei inclui: Morte por apedrejamento de pessoas condenadas por sodomia. Flagelação públicas daqueles condenados por aborto, adultério e estupro. A amputação de mãos ou pés de condenados por roubo.

As Nações Unidas condenam essas atitudes por serem “cruéis e desumanas”. Mas, o sultão defende o seu “direito de soberania”.

Algumas celebridades tem induzido um boicote aos hotéis pertencentes ao sultão.

No Reino Unido, o ministro do trabalho disse que Brunei deveria ser expulso da Comunidade de Nações.

______________________________

Links relacionados:

Matéria original (Em inglês): Thai activists protest Brunei’s anti-gay laws

8 coisas que você precisa saber para REALMENTE ajudar pessoas LGBT de Brunei

Ativistas alertam que Brunei pode aprovar lei que permite apedrejamento de LGBT.

Descolonização e Práxis Queer: As perguntas irrespondíveis para “Ásia queer”

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: