Universidade indonésia fecha jornal estudantil por publicar uma história de amor lésbico

Tradução do texto de Rik Glauert originalmente postado no Gay Star News

____________________

Autoridades universitárias da Indonésia entraram com a ordem de fechamento do site de notícias estudantis depois da publicação de um conto ficcional sobre mulheres lésbicas.

Jornalistas estudantis podem enfrentar até 12 anos de prisão sob a lei draconiana de pornografia da Indonésia, que proíbe qualquer “conteúdo lascivo ou exploração sexual que violem os valores morais da sociedade”.

A equipe editorial de 18 membros da Universidade da Sumatra do Norte (USU) receberam 48 horas para fechar o site e esvaziarem a sala de notícias.

“Eles afirmam que o conto que publicamos contém elementos pornográficos e LGBT”, contou Yael Stefany Sinaga, editora e autora do conto.

“Na minha opinião, não existe nada de errado e eu gostaria de dizer que nós não deveríamos discriminar minorias como pessoas LGBT”, contou a editora. “A injustiça está desenfreada”.

De acordo com o pesquisador da HRW Andreas Harsono, isso é um sinal que o pânico moral anti-LGBT da indonésia está aumentando cada vez mais.

Desde janeiro de 2016, autoridades indonésias tem usado das leis de blasfêmia, pornografia, e pertubação pública para prender cidadãos LGBT.

A comissão de transmissão nacional da Indonésia também baniu qualquer conteúdo LGBT da televisão e da rádio.

Apesar da homossexualidade não ser criminalizada no país, exceto em uma província, não existe proteções legais para pessoas LGBT.

Esse último acontecimento significa que a perseguição “não é somente contra direitos LGBT mas também à liberdade jornalística” conta Harsona para o Gay Star News.

“Uma simples história de amor”

A editora e autora Yael Stefany Sinaga escreveu um conto de mil palavras sobre uma mulher expressando o seu amor por outra mulher mais nova.

Intitulado “Todos não permitem a minha presença perto dela”, foi publicado dia 12 de março. A jornalista também compartilhou o seu texto nas redes sociais.

“A Human Rights Watch considerou esse conto como uma simples história de amor” disse Harsono. “Não é uma história pornográfica”.

O presidente da universidade , Runtung Sitepu, teria convocado membros da equipe do site para comparecerem no seu escritório.

Eles então receberam a ordem de fechar o site.

Suaru-USU-newsroom-2
Sala do jornal da universidade

Vivendo com medo

Harsono conta que a ameaça da lei de pornografia foi “muito real”.

“Nós nos lembramos dos casos de Surabaya, Bandung e Jakarta onde homens gays foram presos por essa lei”, ele conta.

Ainda, a sala do jornal não era uma comunidade LGBT, ele conta. Mas, eles queriam defender direitos LGBT.

A perseguição ao jornal irá mandar uma mensagem de que pessoas que se simpatizem pela causa LGBT também serão alvo de perseguição.

Ativistas LGBT e da liberdade de fala estão planejaram um protesto contra o fechamento do jornal.

Yael disse que os jornalistas despedidos irão abir discussões abertas sobre a questão.

“Nós também convidamos escritores e instituições legais para analisar o conteúdo do conto” ela afirma.

____________________

Links relacionados:

Matéria original (Em inglês): Indonesian university shuts down student news site over lesbian love story

Pregador da Indonésia afirma que KPOP encoraja um estilo de vida LGBT e libertinagem

Policiais da Indonésia flagrados assediando mulheres trans

Porque a Indonésia pressionou o Instagram a remover Alpatuni, uma tirinha sobre questões de personagens gays

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: