“Eu posso ser eu mesmo”: História do refugiado sírio que liderou a parada do orgulho de Kelowna, Canadá

Tradução do texto de Liam Britten originalmente postado na CBC.

___________________________

O mestre de cerimônias da Parada do Orgulho de Kelowna de 2018 estava honrado de liderar a parada, mas o mais importante, orgulhoso de poder ser ele mesmo.

Anas Qartoumeh é um refugiado sírio gay que fugiu de seu país em 2015 para escapar a guerra civil, que criou centenas de vítimas e causou a migração de milhões.

Qartoumeh também queria fugir da cultura conservadora da Síria, que forçava ele a manter a sua homossexualidade um segredo.

Ele hoje vive em Kelowna e pela primeira vez “Eu sou eu mesmo”, contou para o apresentador Chris Walker do Daybreak South.

“É uma sensação muito diferente. Levou muito tempo para eu me assumir ” disse Qartoumeh.

“Essa era a palavra que mais me dava vergonha no Oriente Médio e hoje eu a transformei em minha identidade aqui no Canadá”.

“Isso significa muito para mim”.

okanagan-pride
Foto da Parada do Orgulho de Kelowna de 2017. (Foto: Clinton Myers/Facebook)

Vida Secreta

Qartoumeh descreve a sua vida em Damasco, capital da Síria, como sendo de segredos.

Ele conta que fingia ser hétero tanto por causa da homofobia em seu país assim como por causa da ameaça de ser preso.

“É uma cultura muito conservadora”, ele disse. “Eles nunca aceitariam coisas como isso”.

Ele disse que as únicas pessoas com quem poderia ser aberto era com visitantes ocidentais e algumas amigas que também sofriam com desigualdade e discriminação”.

O seu pai, ele disse, sabia a muito tempo que ele era gay por causa dos seus maneirismos quando era jovem. Ele contou para a sua mãe, que morreu em 2014, e apesar dela o apoiar, ela se sentia abalada e queria que ele mantivesse a sua identidade em segredo.

Quando Qartoumeh foi convocado pelo exército Sírio, ele fugiu do país, primeiro para o Líbano e Iraque, e então para o Canadá no final de 2017 depois de ser apoiado pelo Comitê de Refugiados de Okanagan Central.

Diversidade

A Sociedade do Orgulho de Kelowna disse que Qartoumeh foi escolhido em parte por causa do tema de diversidade da marcha de 2018.

“Ele nos lembra do que infelizmente ainda está acontecendo com pessoas LGBT ao redor do mundo”, disse Dustyn Baulkhan, ex-presidente do Orgulho de Kelowna.

“No Orgulho, nós marchamos por aqueles que não podem viver de maneira autêntica”.

Qartoumeh diz que ele espera que a sua história mostre para pessoas LGBT vivendo em sociedades opressoras que elas tem valor, mesmo fora de sua terra natal.

Ele deseja que o Canadá continue lutando por um panorama amplo de direitos humanos em todos os países.

___________________________

Links relacionados:

Matéria original (Em inglês): ‘I am me now’: Syrian refugee to lead Kelowna Pride March after life of secrecy

O ambiente hostil para refugiados LGBT na Alemanha

Áustria rejeita asilo para Iraniano gay por ser “muito afeminado”

Jovem afegão tem asilo negado na Áustria por “não ser gay o suficiente”

Um comentário em ““Eu posso ser eu mesmo”: História do refugiado sírio que liderou a parada do orgulho de Kelowna, Canadá

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: