Centenas protestam contra as declarações da legisladora Mio Sugita sobre pessoas LGBT serem “improdutivas”

Tradução do texto de Tomohiro Osaki originalmente postado no The Japan Times.

___________________________________

Centenas de manifestantes marcharam na noite do dia 27 de Julho na frente da sede do Partido Democrático Liberal (LDP), demandando a renúncia da legisladora Mio Sugita, que declarou que as lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT) como sendo “improdutivos”.

Sugita está encarando duras críticas sobre um artigo que ela contribuiu para a última edição da revista conservadora Shincho 45, onde ela argumenta que o dinheiro dos impostos não deveriam ser investidos em políticas que apoiam casais do mesmo sexo porque “esses homens e mulheres não geram crianças – em outras palavras, eles são improdutivos”.

Muitos se uniram na manifestação depois que uma hashtag viralizou nas redes sociais encorajando as pessoas a se unirem ao protesto contra a legisladora.

Participantes levavam diversos cartazes e placas com as cores do arco-íris – um símbolo do orgulho LGBT – e gritavam demandando que Sugita renunciasse, dizendo: “Nós não precisamos de uma legisladora que desrespeita os direitos humanos!”.

Yumi Moriya, uma representante da Aliança do Japão para Legislação LGBT, um dos grupos mais envolvidos na organização de manifestações, afirma que teve cerca de 5000 participantes.

“‘Improdutivo’ não é uma palavra utilizada para descrever seres humanos – sejam eles LGBT ou não”, afirma Rina Matayoshi, 26 anos, que se identifica como lésbica.

Matayoshi disse que o fato da LDP ainda não repreendeu Sugita – ou tenha tomado qualquer medida punitiva contra ela – mostra que eles são complacentes com as afirmações dela. Quando questionados sofre as críticas contra Sugita no começo da semana, o secretário geral do LDP Toshihiro Nikai nem apoiou nem repreendeu ela, dizendo “Diferentes pessoas têm opiniões diferentes”.

Na revista, Sugita disse que a tendencia atual da mídia em celebrar a diversidade sexual pode causar o risco de instigar aqueles “capazes de viver um romance normal” a noção errada de que “eles têm a opção de ser homossexual” e por isso aumentando o número de “pessoas infelizes”.

“Então, ela está afirmando que nós somos anormais ou algo assim?” disse Matayoshi.

Outra participante, Ame Kondo de 26 anos, disse que se sentiu tão ofendida pelo comentário de Sugita – que ela considera desconsiderar o direito humano de pessoas LGBT – que “eu não pude dormir por dias”.

“Eu senti que ela estava falando que eu não merecia estar viva”, afirma Kondo, que é uma mulher trans e atualmente está passando por terapia hormonal.

“O fato de ela poder dizer isso tão abertamente significa que ela está negando a própria existência de pessoas LGBT”.

Mariru, uma estudante universitária de 21 anos de Tóquio, disse que a produtividade – ou a falta dela – não deveria ser citada para determinar o valor de um ser humano. Mas ela percebeu desapontada a maneira como algumas pessoas reagiram às afirmações de Sugita pelas redes sociais.

“Eu percebi que algumas pessoas estavam argumentando que pessoas LGBT, também, são contribuintes da economia japonesa porque eles trabalham e pagam impostos como qualquer um. Mas essa maneira de pensar é na realidade a mesma da de Sugita”, afirma Mariru, que deseja ser identificada apenas pelo seu primeiro nome.

Grandes aplausos foram dados quando uma mulher tomou a frente do longo protesto gritando a plenos pulmões.

“Eu não vou permitir que ninguém me pare de amar uma mulher” gritava uma mulher lésbica de 22 anos ao microfone.

“Todos merecem estar vivos! Todos merecem ser amados incondicionalmente!” Ela dizia. “Eu tenho a liberdade  de viver da maneira que eu quero”.

___________________________________

Links relacionados:

Matéria original (Em inglês): Thousands rally to protest LDP lawmaker Mio Sugita’s remark calling LGBT people ‘unproductive’

Placa em banheiros de Osaka provocam mais dano do que ajudam a causa LGBT

Empresária japonesa Kazuyo Katsuma anuncia estar em um relacionamento lésbico

Cirurgia forçada e esterilização: A comunidade trans do Japão ainda enfrenta uma íngreme batalha

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: