A comunidade LGBT do Timor Leste continua se fortalecendo

Tradução do texto de Shannon Power para o Gay Star News.

__________________________________

Uma das nações mais jovens do mundo está avançando na luta pelos direitos de pessoas LGBTI e propôs uma ideia inteligente para promover a inclusão.

Ano passado, a primeira marcha do orgulho do Timor Leste tornou-se manchete de vários jornais ao redor do mundo, não somente pelas suas cores e celebrações, mas porque foi uma importante conquista.

O Timor declarou independência em 2002 depois de décadas de dominação autoritária indonésia. E desde então ele teve que se erguer como nação muito rapidamente.

Pouco tempo foi dedicado para a comunidade LGBTI. Assim como em outras nações ao redor do mundo, pessoas LGBTI enfrentam diversas violências, discriminações e pressões familiares.

Dias antes da Marcha do Orgulho, o ex-primeiro ministro Rui Maria de Araujo foi o primeiro líder político do sudeste asiático a pedir publicamente pela aceitação e proteção de indivíduos LGBTI.

“Todos tem o potencial de contribuir no desenvolvimento da nação, incluindo membros da comunidade LGBT”, ele declarou.

“Discriminação, desrespeito e abuso contra pessoas baseado na orientação sexual ou identidade de gênero de uma pessoa não produz nenhum benefício para a nação”.

Ano passado, um relatório revelou os altos níveis de violência que mulheres LBT sofrem no Timor Leste. Mulheres LBT relataram violências como serem arrastadas por carros, estupro corretivo e serem amarradas com mangueiras entre outros atos horríveis. Normalmente, esses atos de violência eram realizados por membros da família.

Nós somos família

Mas os timorenses são orientados pelo conceito de família e o primeiro passo para superar esse estigma é aumentar a aceitação de pessoas LGBTI dentro de cada família.

Uma organização de jovens, Hatutan Youth, apresentou uma ideia para promover a aceitação e inclusão.

Não haviam materiais nas línguas locais -tetum e português – sobre a comunidade LGBTI, então eles decidiram produzi-lo.

“O caminho para a aceitação” (Inédito no Brasil) é um vídeo de 15 minutos com histórias de renomadas pessoas LGBTI.

“Chegou a hora de fazermos o nosso próprio vídeo”, conta Natalino Guterres, coordenador do Hatutan Youth, para o Gay Star News.

“Nós entendemos que timorenses são muito visuais, e nós esperamos que histórias tão poderosas e positivas possam ajudar a mudar as perspectivas das pessoas sobre esse tema”.

east-timor-natalino-Guterres-650x500
Natalino Guterres (Foto: Facebook)

O pai do Timor Leste

Em um país como o Timor Leste, foi muito difícil fazer com que as pessoas compartilhassem as suas histórias de maneira tão pública.

Mas é também importante ter os aliados corretos para ajudar que o documentário seja aceito de maneia mais ampla.

Então, quando Xanana Gusmão apareceu no lançamento do documentário aconteceu uma grande comoção.

xanana-gusmao-east-timor-650x500

Guterres disse que a presença de Gusmão e de outros influentes dignatários fez com que “nós não nos sentíssemos sozinhos nessa luta”.

Conhecido como o “Pai do Timor Leste”, Gusmão foi o primeiro presidente depois da independência. Gusmão foi uma figura importante da revolução de independência da Indonésia.

“Xanana Gusmão é uma das pessoas mais influentes do país. Tê-lo ali foi outro passo na caminhada pela aceitação”, afirma Guterres.

“Nós esperamos que a presença dele possa influenciar mudanças positivas”.

“Nunca no passado nós tivemos nossos líderes nacionais demonstrando abertamente o seu apoio e solidariedade pela causa”.

xanana-gusmao-natalino-Guterres-east-timor-650x500
Xanana Gusmão e Natalino Guterres rindo de uma piada. (Foto: Facebook)

Nós não estamos sozinhos nessa luta

O documentário é apenas o primeiro passo para promover a aceitação. O próximo passo será receber aliados para ajudar dentro das diversas comunidades.

“Nós vemos esse vídeo como um primeiro passo para iniciar uma aceitação familiar”, diz Guterres.

“Nós esperamos que a longo prazo isso possa alimentar um movimento composto de pais, irmãos, e amigos que apoiam crianças, irmãos e irmãs LGBT, que é algo que não vemos por aqui (no Timor Leste)”.

O caminho para a aceitação

A produtora Pixel Asia apoio o Hatutan a realizar esse filme.

“Cinema é uma ferramenta poderosa para apresentar modelos positivos – com os nossos protagonistas tivemos o privilégio de capturar histórias de diversos membros da comunidade LGBTI do Timor Leste”, disse Lena Lenzen da Pixel Asia.

__________________________________

Links relacionados:

Matéria original (Em inglês): East Timor’s LGBTI community keeps getting stronger together

Violência e estupro corretivo de mulheres LBT do Timor Leste

Mulheres e indivíduos LGBT: vítimas invisíveis de desastres

Descolonização e Práxis Queer: As perguntas irrespondíveis para “Ásia queer”

Um comentário em “A comunidade LGBT do Timor Leste continua se fortalecendo

Adicione o seu

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie um website ou blog gratuito no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: