Festival LGBT de Myanmar sai as ruas pela primeira vez.

Tradução de uma matéria originalmente publicada no The Straits Times.

______________________

Com perucas tortas e deixando para trás uma nuvem de glitter e saltos quebrados pelo caminho, drag queens de Myanmar cruzavam a linha de chegada e eram recebidas por um círculo de fotógrafos durante um revolucionário festival.

A corrida e outros jogos, incluindo o lançamento de bolsas, foram alguns dos pontos altos do festival “&Proud”, que aconteceu pela primeira vez ao ar livre em um pais onde relacionamentos entre pessoas do mesmo sexo ainda é oficialmente ilegal.

“Algumas pessoas não sabem nada sobre pessoas LGBT”, disse Thaw Zin de 20 anos, que participou das atividades no parque de Yangon, vestindo uma camisa rosa brilhante, cabelos tingidos de loiro e usando lentes de contato azuis.

“Você conhece pessoas que são LGBT e não sabem o que é isso. Eles não entendem. Então é difícil que os outros também entendam sobre o que é ser LGBT”.

A seção 377 da legislação de Myanmar, remanescente das leis britânicas, criminaliza o então chamado sexo “não-natural” e foi utilizada para perseguir pessoas LGBT+ pela sociedade conservadora.

Reformas políticas tem ampliado o espaço para a livre expressão, mas grupos de luta pelos direitos civis desprezam as atitudes homofóbicas intrínsecas e a propagação da discriminação contra a comunidade LGBT+.

Os organizadores disseram que eles ficaram espantados com a permissão de realizar o festival ao ar livre ao invés do discreto jardim do Instituto Francês como nos anos passados.

A ampla aceitação aumentou o número de participantes com 6.000 pessoas comparecendo no primeiro dia, em comparação com os 2000 ou 3000 participantes dos anos anteriores.

“Eu diria que esse festival não é somente para a comunidade LGBT. Ele é para o país inteiro, reconhecendo equidade e direitos humanos básicos”, disse o co-diretor do festival Hla Myat Tun, de 33 anos.

O objetivo do evento, que aconteceu por duas semanas seguidas, é de educar e também entreter.

Voluntários LGBT estavam disponíveis na “biblioteca humana” onde eles apresentavam suas histórias pessoais enquanto uma série de documentários LGBT estavam sendo exibidos.

A Simple Love Story (Uma simples história de amor) conta sobre o relacionamento entre um homem trans em Yangon e sua cônjuge, uma mulher trans, em Mandalay.

Outro filme, This Kind of Love, registra a vida de Aung Myo Min, um veterano e ativista LGBT, da época dos protestos estudantis de 1988 até a revolta armada na selva, onde ele lutou contra militares por cinco anos.

Ele espera que a sua história ajude a quebrar esteriótipos.

“Pessoas estavam realmente surpresas em ver um homem gay como eu no palco, fazendo um discurso político”, disse o veterano de 52 anos antes de apresentar o seu filme. “Eu fui para a selva, que é completamente dominada por homens machos e cercado de regras militares. Eu sobrevivi”.

Enquanto DJ fechavam as festividades tocando clássicos como YMCA, e os organizadores estavam já de olho nos próximos palco onde fariam uma campanha para exterminar a lei discriminatória do país.

____________________________

Links relacionados:

Matéria original (Em inglês): Myanmar LGBT festival goes public for first time

Violência e estupro corretivo de mulheres LBT do Timor Leste

Jornal Malaio é criticado por publicar lista de “Como identificar um gay”

Resistência e subversão: movimentos queer pela Ásia – Singapura

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: