A história LGBT+ do Vietnã

Esse artigo é uma tradução realizada por Luana Duyen Nguyen de um vídeo do projeto Thủ Phất Thanh Đài, que tem como objetivo popularizar a história e cultura vietnamita através de curtas e outros projetos artísticos.

A homossexualidade e os LGBT em geral tem ganhado um crescente reconhecimento nos últimos anos, mas na realidade parecem ter caído na escuridão durante o curso da história, chamando pouca atenção.

Mas é verdade que os vietnamitas falharam em reconhecer tais casos no passado ou havia alguma razão?

Relíquias de antes da colonização do Norte mostram que atividades sexuais eram consideradas saudáveis e naturais.

Festividades locais até mesmo incentivavam a exploração da sexualidade e não havia discriminação contra relações de mesmo sexo.

Século II

No século II, duas grandes religiões, o Budismo e o Confucionismo,  foram introduzidas na sociedade vietnamita e transformou o modo de pensar do povo.

Não haviam relatos específicos de LGBTs no Pali Canon (Escrituras do budismo Theravada). Mas, algumas pesquisas apontaram que todas as doutrinas budistas que são aplicadas aos casamentos tradicionais também poderiam ser compatíveis com casamentos do mesmo sexo.

É notável que a ideologia budista não dá uma importância especial para a reprodução. Em contrapartida, apesar do confucionismo não dizer explicitamente sobre sua discriminação contra relacionamentos do mesmo sexo,  ele parece aceitar muito menos a ideia de casais homossexuais por causa da convicção de que a sociedade é construída por famílias tradicionais e gerações sucessivas.

O confucionismo glorificou o papel do homem, por isso sociedades sob a influência confuciana eram preconceituosas contra homens de sexualidade atípica enquanto que casos de lésbicas eram quase ignorados.

Séculos XIV-XV

Em 1351, durante a dinastia Trần, as escrituras dos “Anais Completos de Đại Việt” apenas registraram poucas linhas sobre o peculiar caso de uma menina em  Nghệ Na que havia se “transformado em homem”.

Apenas em 1476 que outro caso surgiu, desta vez sobre duas mulheres. Uma era casada enquanto a outra era solteira. A relação sexual delas resultou na gravidez da mulher solteira, o que a levou em julgamento por gravidez ilegítima sem um marido.

Entretanto, depois de uma investigação, o magistrado declarou sua inocência, já que a gravidez foi o resultado do seu relacionamento com outra mulher.

Notavelmente, o caso não condena a natureza de um relacionamento homossexual.

Enquanto isso, em 1499, os Anais registraram o caso do príncipe Lê Tuân, o filho mais velho do imperador Lê Hiến Tông.

Ele era um intelectual com conhecimento e força excepcionais,  mas também conhecido por ser teimoso e ter afinidade por roupas femininas.

Esse foi uma das razões pelas quais ele perdeu o direito à coroa, apesar de ser o primogênito.

Séculos XVII-XIX

A influência do confucionismo na percepção social sobre sexualidade foi consolidade através dos anos até a chegada dos ocidentais no Vietnã.

Atos homossexuais se tornaram comuns entre o povo.

No final do século XVIII e começo do século XIX, uma vez que mulheres eram geralmente proibidas de atuar no palco, papeis de personagens femininas eram dados à homens adolescentes.

Quando Jacobus X. visitou teatros chineses no sul da Cochinchina, ele notou a conexão entre esses homens e a popularidade crescente de prostituição masculina naquele tempo. O crescimento da homossexualidade nesse período foram atribuídas a diferentes causas.

Primeiro, por causa do ópio.

Homens ricos em Annam faziam sexo frequentemente com homens que trabalhavam com ópio. Os ocidentais tinham medo de mulheres annamitas, que como mascavam flolhas de betel e noz de areca, tinham dentes pretos, e eles achavam que elas estavam infectadas com sífilis, enquanto que os homens eram bonitos e femininos.

Entretanto, parcialmente devido à conexão com a prostituição, a homossexualidade foi vista de maneira negativa pela sociedade.

Séculos XX-XXI

O século XX testemunhou vários progressos sociais, porém a relação do mesmo sexo permaneceu um estigma dentro da sociedade.

Um pequeno número de artistas escolheu expressar seus sentimentos reprimidos por meio de palavras na literatura e na música.

“Eu me lembrei de Rimbaud e Verlaine, dois poetas embriagados pelo amor. O amor pela poesia e o amor por seus contemporâneos. Denunciando os esteriótipos, eles deixaram todos os clichês para trás”

Ao longo do curso da história, a percepção social sobre a comunidade LGBT se tornou mais negativa.

Até hoje, há parcelas da sociedade que ainda não conseguem escapar completamente de influências estabelecidas por crenças antigas.

Contudo, a proibição do casamento de pessoas do mesmo sexo tem sido removida desde 2015, o que é, claramente, um sinal positivo para os anos que estão por vir.

Referências

1. Ngô Sỹ Liên, Đại Việt Sử Ký Toàn Thư

2. Hồng Đức Thiện Chính Thư

3. Khuat, Hong T. (1997). Study on Sexuality in Viet Nam: The Known and Unknown Issues, Institute of Sociology and Population Council in Ha Noi.

4. Việt Nam Phật giáo sử luận – Nguyễn Lang, NXB Văn học – Hà Nội, 1979 (tr24 – tập 1)

5. X, Jacobus; Carrington, Charles; (1900). Untrodden fields of anthropology: observations on theesoteric manners and customs of semi- civilized peoples, (New York, American Anthropological Society,1900).

6. Paul Michaut, “Syphilis et pédérastie, fumeurs d’opium et climat,” Bulletin Général de Thérapeutique Médicale et Chirurgicale 124. (1893)

7. Jacobus X. [as “A French Army-Surgeon”], Untrodden Fields of Anthropology: Observations on the Esoteric Manners and Customs of Semi-Civilized Peoples; Being a Record of Thirty Years Experience in Asia, Africa, America, and Oceania, 2 vols. (Paris, 1898), 109 (2nd, enlarged English ed. of L’Amour aux colonies [1893], cf. 55)

8. Albert Vivies, L’Ame de la Cochinchine (Saigon, 1924)

9. Roger Dupouy, Les Opiomanes: Mangeurs, buveurs et fumeurs d’opium (Paris, 1912)

10. Richard Millant, “Syphilis et pédérastie, fumeurs d’opium et climat,” Bulletin Général de Thérapeutique Médicale et Chirurgicale 124 (1893)

11. Proschan, F 2002, ‘”Syphilis, opiomania, and pederasty”: colonial constructions of Vietnamese (and French) social diseases’, Journal Of The History Of Sexuality, 11, 4, pp. 610-636, MEDLINE, EBSCOhost, viewed 22 December 2016.

12. Jacobus X., L’Amour aux colonies: Singularités physiologiques et passionnelles, observées durant trente années de séjour dans les colonies françaises, Cochinchine, Tonkin et Cambodge, Guyane et Martinique, Sénégal et Rivières du Sud, Nouvelle-Calédonie, Nouvelle-Hébrides et Tahiti (Paris, 1893)

13. Pierre Garnier, “Anomalies sexuelles apparentes et caches” (Paris, 1889), trang 511.

14. Paul Roux, “Contribution à l’étude anthropologique de l’Annamite Tonkinois,” Bulletins et Mémoires de la Société d’Anthropologie de Paris 6.

______________________________

Links relacionados

Canal do youtube: Thủ Phất Thanh Đài 

Onde nós estamos? A visibilidade LGBT+ nas produções cinematográficas do ano de 2016

A importância da presença asiática no movimento LGBT+: Integra da fala de Alex Tso na Câmara Municipal de São Paulo

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: